Centro Vianei de Educação Popular

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Livro relaciona os alimentos à cultura

E-mail Imprimir
Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 
Pesquisadores estudam a cultura imaterial da Coxilha Rica a partir dos hábitos alimentares dos moradores

O livro “Saberes e Fazeres: Cores e Sabores da Coxilha Rica” é resultado de um projeto  idealizado por pesquisadores do grupo “Cultura, Educação e Desenvolvimento”, coordenado pela professora do Mestrado em Educação da Uniplac, Zilma Isabel Peixer.
Zilma explica que o grupo atua desde 1993 e viabiliza suas pesquisas através de parcerias com diversas instituições. Entre elas, o Centro Vianei de Educação Popular, que foi o proponente deste projeto.
O trabalho tinha a meta de  mostrar de que forma, através dos alimentos, se estrutura a cultura imaterial da Coxilha Rica.
O projeto prevendo a pesquisa foi apresentado a um edital do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em março do ano passado.
Ele concorreu com mais de 100 enviados por entidades de todo o país e foi um dos 12 selecionados. “Não era por Estado, mas em Santa Catarina foi o nosso (o escolhido)”, comenta Isabel.
 A partir daí os pesquisadores começaram a apurar diversos aspectos da cultura da localidade, que fica a cerca de 60 quilômetros do Centro de Lages. Junto aos moradores eles definiram o que iria fazer parte do registro dessa cultura imaterial.
O grupo esteve na Coxilha Rica em vários finais de semana e durante o mês de janeiro deste ano. Entrevistou pessoas, participou de atividades festivas, reuniões e seminários realizados no período.
No livro, escrito coletivamente por cinco autores (pesquisadores do grupo), além dos rituais e das práticas alimentares, estão registradas fotografias da culinária e do cotidiano local. “O livro foi estruturado imaginando um dia na fazenda”, diz Isabel.
A coordenadora cita que nele os moradores contam como escolhem os alimentos, suas histórias de vida, sonhos, desafios, o que significa para eles viver na Coxilha Rica, falam dos encantos e desencantos e de seus dramas pela sobrevivência.
O título teve dois mil exemplares publicados. Parte ficou com o Iphan, que vai distribuir o livro pelo país. A outra será fornecida gratuitamente à comunidade pesquisada, universidades e às bibliotecas de escolas públicas de Lages.